Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

A Vereadora Brenda Santunioni (PP) esteve na quarta-feira (22) no Laticínio Funarbe (setor da Fundação Arthur Bernardes) para discutir o registro do tradicional doce de leite Viçosa como patrimônio cultural do Município. A iniciativa da vereadora tem o apoio da Secretaria de Cultura, Patrimônio Histórico e Esportes da cidade e a ideia foi bem recebida pela Fundação.

O doce de leite Viçosa é produzido há quase 30 anos e já ganhou nove vezes o título de melhor do Brasil no Concurso Nacional de Produtos Lácteos (CNPL). Segundo a Supervisora Financeira e Comercial do Laticínio Funarbe, Eliane do Vale, são produzidas cerca de 110 toneladas por mês nas recém-inauguradas instalações da fábrica. “O doce de leite é comercializado para todo o país, e a nossa expectativa é chegar a 200 toneladas/mês”. O Conselho de Administração da Funarbe ainda precisa se reunir para dar uma resposta ao Município nos próximos dias, mas a sinalização durante a reunião com a vereadora foi positiva.

De acordo com a responsável pelo Departamento de Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura, Cíntia Ferraz, o processo deve ser feito após deliberação do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural: “após aprovação no Conselho, o Prefeito deve decretar o produto como patrimônio cultural do Município. Isso deve acontecer no começo do ano que vem”. Para a Vereadora Brenda, o registro é benéfico tanto para o Laticínio Funarbe como para Viçosa: “Além dos benefícios financeiros, é um grande passo para a cultura, a tradição e para o turismo da cidade. O Município deve dar mais esse reconhecimento a um produto premiado nacionalmente”, disse.

Uma vez no quadro de patrimônio cultural do município, Viçosa pode manifestar o interesse de incluir o doce de leite no quadro de registros imateriais do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA). O registro do produto aumenta a pontuação de Viçosa no ICMS Patrimônio Cultural, programa de incentivo à preservação patrimonial por meio de repasse de recursos para os municípios que mantenham seu patrimônio e suas referências culturais. No ano passado, o Município recebeu quase R$120 mil com o repasse e, de acordo com a Prefeitura, a estimativa para 2018 é de R$300mil.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO PMV

 

Comentários