Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

Segundo a polícia, o veículos roubados e clonados também foram vendidos em várias cidades do estado, incluindo Viçosa, Caratinga, Ipatinga e outras.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) apresentou, nesta quinta-feira (03), a conclusão de um trabalho investigativo que resultou na identificação de 15 suspeitos envolvidos em furtos, roubos, adulterações e receptações de veículos automotores, na capital e interior de Minas Gerais.

Em um trabalho de cooperação com a PCMG, a Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte participou dos cumprimentos de mandados de prisão dos líderes da organização criminosa Bruno Lourenço Doche, de 37 anos, e Romerito Quintão da Rocha, de 28, realizados em Belo Horizonte, na quinta-feira (26/2). Bruno e Romerito foram identificados como responsáveis por encomendar, comprar os veículos roubados, determinar as adulterações dos sinais identificadores e revender esses veículos.

                                                                                                                                                                                                                      Divulgação PCMG

De acordo com o Delegado Cláudio Utsch, Coordenador de Operações Policiais do Detran-MG, a investigação começou com a apreensão de um caminhão na cidade de Uruaçu, em Goiás, em setembro do ano passado. Na ocasião, a PCMG já monitorava os suspeitos e entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que conseguiu apreender o automotor e prender em flagrante Ricardo Costa de Oliveira. “A partir dessa prisão, desenvolveu-se um trabalho de investigação que resultou em 12 prisões em Minas Gerais, na apreensão de 31 veículos e 50 ainda a serem apreendidos”, explicou o Delegado.

Segundo o Delegado João Francisco Barbosa Neto, os veículos eram roubados na capital e em cidades da região metropolitana. Estes veículos eram posteriormente adulterados e revendidos a receptadores, principalmente em cidades do Vale do Aço e Norte do Estado. “Na última diligência que realizamos no interior, na semana passada, em quatro dias foram apreendidos nove veículos adulterados e efetuamos cinco prisões em flagrante”, esclareceu Barbosa Neto.

O valor estimado dos veículos recuperados chega a mais de R$ 1,3 milhão, considerando os valores reais dos bens. Além disso, foram apreendidas três armas de fogo, munições e diversos Certificados de Registros e Licenciamento de Veículos falsificados.

Os presos responderão pelos crimes de organização criminosa, receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

FONTE ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO PCMG

Comentários