Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

Nota de esclarecimento:

A família de Douglas Júnior informa que o tratamento contra o câncer linfoma de Burkitt, está sendo realizado no hospital das clinicas em Belo Horizonte, totalmente gratuito. As doações recebidas são para custear os gastos com medicamentos e deslocamento para Belo Horizonte, o pai e a mãe da criança estão desempregados no momento e passam por dificuldades financeiras. Douglas Júnior é o filho mais novo do casal Renata e Douglas ambos moradores de Teixeiras-MG
Agradecemos a todos pelas doações e juntos venceremos essa batalha.

Encontro de Cavaleiros Beneficente:

No próximo dia 2 de abril, no Sítio do Nelson, na Sucanga, próximo ao Bom Jardim, zona rural de Teixeiras, será realizado um encontro de cavaleiros beneficente ao garotinho Douglas Junior.

Na ocasião, será servido um almoço a partir das 12 horas. A programação ainda conta com a realização de um bingo e de forró, com muita diversão. O evento contará com a presença do locutor de rodeio Juninho Ferreira e do Dj Catatau
Douglas se encontra internado no Hospital das Clínicas, em Belo Horizonte, onde está sendo medicado contra uma doença conhecida por Linfoma de Burkitt. Segundo familiares e amigos de Douglas, apesar do tratamento ser gratuito alguns dos medicamentos usados são de alto custo e precisam ser adquiridos pela família. Outras iniciativas também estão sendo tomadas em Viçosa, com o objetivo de angariar fundos para o tratamento da criança. Uma rifa está sendo vendida e uma conta bancária foi aberta para receber doações.
Quem quiser contribuir, poderá depositar qualquer quantia na conta corrente 00055354-0, agência 0164, da Caixa Econômica Federal, em nome da mãe de Douglas, Renata Aparecida.

A doença
O linfoma de Burkitt é uma forma relativamente rara e agressiva de linfoma não-Hodgkin. O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer do sistema linfático. O sistema linfático ajuda o corpo a combater infecções.
O linfoma de Burkitt é mais comum em crianças que vivem na África subsaariana, onde está relacionado ao vírus Epstein-Barr (EBV) e à malária crônica. O linfoma de Burkitt também é visto em outros lugares, inclusive nos EUA. Fora da África, o linfoma de Burkitt tem mais probabilidade de ocorrer em pessoas que tenham um sistema imunológico comprometido.
A causa exata do linfoma de Burkitt não é conhecida, mas sabe-se que a doença tem maior probabilidade de afetar crianças do sexo masculino e é rara em adultos. Os fatores de risco variam de acordo com a localização geográfica. Segundo a revista The Lancet, o linfoma de Burkitt é o câncer infantil mais comum em regiões onde há uma alta incidência de malária, como na África.
O linfoma de Burkitt pode provocar febre, perda de peso e suores noturnos. Outros sintomas do linfoma de Burkitt variam segundo o tipo e os sintomas mais comuns são: dor e inchaço abdominal (ascite), desenvolvimento de ossos faciais (incluindo distorção), obstrução intestinal, tireoide aumentada, amígdalas aumentadas. Os tumores podem crescer extremamente rápido, às vezes dobrando de tamanho em 18 horas
O diagnóstico da doença passa obrigatoriamente pela biópsia de tumores, que poderá confirmar o diagnóstico. A medula óssea e o sistema nervoso central geralmente estão envolvidos. A medula óssea e o fluido espinhal normalmente são examinados para avaliar o quanto o câncer se espalhou.
A tomografia computadorizada e o exame de ressonância magnética podem ajudar a localizar os órgãos e linfonodos que estão envolvidos.
A doença geralmente é tratado com quimioterapia combinada, quando o medicamento é injetado diretamente no fluido espinhal (intratecal) para impedir que o câncer se espalhe para o sistema nervoso central. Os pacientes que fazem quimioterapia intensiva apresentam os melhores resultados de tratamento.
O resultado e a cura da doença dependem do estágio por ocasião do diagnóstico. É geralmente pior para adultos com mais de 40 anos, embora o tratamento para adultos tenha melhorado nos últimos anos.

 

Comentários