Compatilhe esta publicação: Twitter Facebook Google+

Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla da APAE é tema na tribuna livre Na reunião ordinária desta terça-feira (21), Ângela Roseli Oliveira Marcos no uso da tribuna livre trouxe a Casa a temática da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla e pontuou a campanha juntamente com a história da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e sua importância.

Ela pontuou que a APAE completará 50 anos de sua instituição no ano de 2014 e que todos os anos as instituições tem reservado o período de 21 a 28 de agosto para realização de ações que divulguem para sociedade em geral os deveres e direitos ligados aos deficientes intelectuais. “A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla esse ano tem como tema: desafiando os limites, diminuindo as diferenças.”

A APAE é uma associação civil, que atua na prestação de serviços e na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, prioritariamente a deficiência intelectual. Essa Semana é promovida anualmente com o intuito de criar uma mobilização nacional ao redor das pessoas com deficiência, além de sensibilizar e conscientizar a população e dos governos em favor da busca pela garantia de direitos da pessoa com deficiência, e de sua inserção efetiva no contexto social, cultural, educacional e político.

Ângela ressaltou que o tema deste ano mostra o espírito de luta de todos envolvidos. “O tema remete ao espírito de luta e a garra das pessoas com deficiência que consequentemente vem diminuindo as diferenças sociais e o preconceito nesses anos de existência da APAE.”

Ela ainda pediu ajuda da Câmara no que tange ao possível fechamento da associação em todo o País. “Seguindo uma vertente que tem levado a mobilização das APAES de todo o País, contra o projeto de lei que levará a inclusão radical dos alunos da APAE nas Escolas normais, pondo fim na existência das instituições em todo Brasil. Essa é uma alteração da meta 4 do Plano Nacional de Educação (PNE). A proposta foi apresentada pelo senador José Pimentel (PT-CE) e prevê o fim do repasse a essas entidades de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, o que pode acarretar o fim dessas instituições. Pedimos o apoio de todos os Vereadores para que conseguimos preserva essa importante associação.”

A Vice- Presidente da Casa, Marilange Pinto Coelho (PV) ressaltou que reconhece a importância da APAE como educadora. “Nós estamos na luta junto com a APAE, o trabalho desta associação vai muito além da inclusão, são eles que fazem a triagem os encaminhamentos, os relatórios, ela é uma parceira constante das escolas públicas, e ela nós dá a certeza que a inclusão em Viçosa é uma realidade. Se a APAE acabar todo o trabalho construído até agora se perderá.”

O Presidente da Câmara, Luis Eduardo Salgado (PDT) finalizou sua fala em apoio à causa. “O Ex-Presidente Lula baixou um decreto que considerava a escola APAE com status de escola comum, eles entendem que incluir o excepcional dentro da escola comum é estabelecer direitos iguais, esse é um problema do Brasil todo, e se infelizmente a sociedade não se mobilizar eles irão fazer isso. Eu conclamo a Câmara Municipal de Viçosa, eu conclamo o poder Executivo para que tenhamos um posicionamento diferente, dando a APAE o status constitucional municipal de escola pública quero ver quem lá de Brasília vai mudar nossa autonomia aqui dentro.”

O ex-aluno da APAE, Alisson Ramos (Barão) falou o quanto gostava de estudar e do tratamento carinhoso recebido pelos funcionários da associação.

Barão

Deixe uma resposta

Comentários