Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

Ivair Nogueira (deputado estadual PMDB/MG), Roberto Andrade (deputado estadual PSB/MG), Fábio Avelar Oliveira (deputado estadual Avante/MG)

Surpreendido com a notícia de que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou, na terça-feira (22), o reajuste médio na conta de luz dos mineiros em 23,19%, o presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, deputado Roberto Andrade (PSB), apresentou requerimento em que pede audiência pública para discutir os impactos na economia mineira para os clientes atendidos pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Segundo a Aneel, os percentuais de aumento na conta de energia vão variar de 18,53%, para consumidores residenciais com baixa renda, a 35,56%, no caso das indústrias. A Cemig atende a 8,3 milhões de unidades consumidoras em 774 municípios mineiros. A expectativa da empresa era de um reajuste médio de até 25%.

“Nós vivemos hoje uma crise econômica de proporções que têm causado desemprego e diminuição da arrecadação do estado. Agora somos surpreendidos com o aumento da energia elétrica para as indústrias, que é um dos principais componentes dos custos dessas empresas”, explica Roberto Andrade.

O aumento ocorre por causa da revisão tarifária periódica, feita a cada cinco anos. De acordo com a Aneel, a revisão tarifária periódica “reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica, em intervalo médio de quatro anos”.

Comentários