Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

 

prefeituraNa reunião da terça-feira (14), as recentes atividades desenvolvidas pela Prefeitura Municipal de Viçosa (PMV), por meio do projeto Prefeitura Itinerante, foram alvo de discussão na Casa Legislativa. As opiniões tiveram pontos de vistas diferentes.

No uso da tribuna, Gilberto Brandão, agradeceu ao Executivo pelas obras realizadas no bairro de Nova Viçosa e no distrito de Posses. De acordo com o morador, antigas reivindicações da comunidade foram atendidas como a retirada de entulhos, construção de quebra-molas e o asfaltamento de ruas.

O Presidente da Câmara, em exercício, Vereador Helder Evangelista (PHS), endossou a fala de Gilberto e falou sobre a importância da Prefeitura Itinerante. “Este projeto está levando melhorias em diversos bairros e até ano que vem muitas regiões de Viçosa serão contempladas com a ação”, afirmou.

A Vereadora Maura Fontenelle (PSDB) parabenizou a atitude de Gilberto. Para Maura, a comunidade deve cobrar do Executivo, mas é necessário dar um retorno positivo quando as solicitações são atendidas. “É preciso também que os moradores tomem consciência para preservar o que o Executivo tem feito, temos que conservar o patrimônio público”, completou.

O Vereador Edenilson José de Oliveira (PMDB) também elogiou a fala de Gilberto e desejou que “as Prefeituras Itinerantes possam levar mais benefícios a toda comunidade”. Entretanto, o Vereador apontou que em alguns locais que já foram contemplados com o projeto ainda há obras emergenciais a serem feitas. Edenilson cobrou ações mais contínuas e efetivas do Executivo.

Para o Vereador Marcos Nunes (PT), o projeto do Executivo desenvolve boas ações, contudo, ele pontuou que obras que mais relevantes não foram realizadas. O Vereador ponderou afirmando que as obras devem ser para além da estética da cidade. De acordo com Marcos, o asfaltamento feito em ruas com aclive acentuado, no bairro Nova Viçosa, foi feito de modo irregular, desobedecendo a uma lei municipal.

O Vereador explicou que para asfaltar ruas nestas condições é necessário fazer a rede de captação pluvial, segundo Marcos isto não aconteceu nas obras citadas. Para o Vereador, esta negligência do Executivo poderá trazer problemas na época de chuvas. Além disso, o Vereador exigiu que a Câmara se posicionasse a respeito e ainda afirmou que “o Prefeito Ângelo Chequer começa a abusar do projeto, a Prefeitura tem que ser itinerante todos os dias”.

Quem também fez ponderações sobre a Prefeitura Itinerante foi o Vereador Sávio José (PT). Para Sávio, há outros meios mais democráticos e eficientes de se realizar a “Prefeitura Itinerante”. De acordo com o Vereador, o Orçamento Participativo seria um modo mais eficaz já que ele é previsto em lei. Desta forma, seria assegurado à população que as propostas definidas no orçamento fossem realizadas independente do governo. Para Sávio, “o que falta é mais divulgação e empenho da administração municipal para a realização do Orçamento Participativo”.

O Líder do Prefeito na Casa, Vereador Paulo Roberto Cabral (Paulinho Brasília) (PPS), afirmou que no início da gestão do Prefeito Ângelo Chequer houve uma reunião com os líderes comunitários para que o Executivo soubesse das necessidades mais emergenciais de cada bairro. Paulinho ainda afirmou que todas as ações feitas nas Prefeituras Itinerantes já foram solicitadas pela população. O Vereador ainda pediu que Marcos Nunes indicasse qual foi o erro na execução da obra de asfaltamento para que fosse repassado à empresa responsável pelo serviço. “Se este erro aconteceu, a empresa não vai receber enquanto ela não fizer aquilo que ficou acordado”, completou.

Para a Vereadora Maria Heloísa (Heloísa da Policlínica) (PHS), o projeto tem sim trazido muitos benefícios para toda a população. A Vereadora crê que o Prefeito está desempenhando bem o seu papel de gestor do município. “Com as Prefeituras Itinerantes temos um Executivo ativo como não víamos há algum tempo nesta cidade”, completou.

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA CMV

 

Comentários