Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

8d066aea-b8b8-4ef5-9b3f-b681a390e0aeUma nação que respeite as diferenças e, em vez de anular a identidade do povo afro-brasileiro, possa contribuir para o empoderamento de mulheres e homens negros e para o fortalecimento da sua identidade étnico-racial. Essa é a proposta da Semana da Consciência Negra de Viçosa 2015, que começou na última segunda-feira (16) e vai até sábado (21).

A programação foi construída pelo Núcleo de Estudos Afro-brasileiros de Viçosa (NEAB) com apoio de várias entidades, inclusive a Prefeitura, que recebeu na última quinta-feira (12) a visita dos organizadores. Os participantes que se credenciarem ganharão certificado. A inscrição custam apenas R$5,00.

A Semana conta com uma programação diversificada, com palestras, mesas-redondas, rodas de conversa, atividades culturas, minicursos e oficinas. O objetivo é promover debates que mostrem a real situação da população negra brasileira, “que mesmo vivendo à margem, não se conforma com o espaço que lhe foi destinado, resistindo à uma sociedade que tenta a todo custo invisibilizá-la. Resistência que busca por um modelo de sociedade brasileira que reconheça a dívida histórica que tem com a população afrodescendente”, diz o texto produzido pelo NEAB.

A atividade mais importante é a VII Marcha da Consciência Negra Dandara e Dona Alda, que ocorrerá no dia 20 de novembro. A Marcha já se tornou tradicional em Viçosa, sendo esta a sétima edição. “Sairemos da UFV e marcharemos pelas ruas de Viçosa, juntando população local e acadêmica para celebrarmos o Dia da Consciência Negra e protestarmos contra todas as formas de opressão que aprisionam a população afro-brasileira, mesmo depois de 127 anos da assinatura da Abolição”, destaca o grupo.

Neste ano as mulheres negras serão protagonistas em todas as mesas de discussões durante a semana e no dia da marcha as homenageadas serão Dandara, mulher de Zumbi dos Palmares, grande referência do Quilombo dos Palmares que foi invisibilizada pela história, e Dona Alda, mulher negra viçosense que tem uma história de vida inspiradora.

 

Comentários