Uma chance de alcançar novas conquistas e oportunidades. É o que almejam os 9,5 mil detentos que irão realizar o Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL), nesta terça e quarta-feira (13 e 14/12), em Minas Gerais. A marca representa um aumento de 25% em relação a 2015. Com a segunda maior população carcerária do Brasil, o estado mantém a mesma posição em número de inscritos para o Enem PPL, respondendo por 18% do total de inscrições nacionais.

As provas serão aplicadas em 135 unidades da Seap e em 36 Centros de Reintegração Social (CRS’s) de Associações (Apac’s) vinculadas à Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (Fbac). Serão 8.433 candidatos de presídios e penitenciárias da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) e 1.108 de CRS’s/Apac’s.

A Penitenciária José Maria Alkimin, em Ribeirão das Neves, é a unidade prisional com maior número de inscritos no Estado: 973 candidatos. A segunda é o Presídio Antônio Dutra Ladeira, no mesmo município, onde 559 detentos vão fazer o exame.

Humberto Alvarenga, de 45 anos, é um dos reeducandos da José Maria Alkimin. Ele entrou no sistema prisional apenas com o ensino fundamental e, por meio do Enem PPL, hoje cursa o 5º período da faculdade de administração. Exemplo para os colegas, Humberto conta que sempre incentiva outros detentos a prestarem o exame. “Tenho feito muita propaganda. Eles acabam se conscientizando que sem estudo não se chega a lugar algum”, revela.

A prova

No primeiro dia de aplicação do exame, terça-feira (13/12), serão realizadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia) e Ciências da Natureza e suas Tecnologias (química, física e biologia), com duração de 4 horas e 30 minutos.

No segundo dia, quarta-feira (14/12), é a vez das provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (língua portuguesa, literatura, língua estrangeira – inglês ou espanhol –, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação), redação e matemática, com duração de 5 horas e 30 minutos.

As inscrições no Enem PPL foram feitas via internet pelos responsáveis pedagógicos de cada unidade da Seap e das Apac´s. Esses técnicos são responsáveis também por conferir os resultados, comunicá-los aos candidatos e encaminhá-los ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e a outros programas de acesso ao ensino superior. O nível de dificuldade do Enem PPL é o mesmo do Enem tradicional.

Ressocialização através do ensino

Aproximadamente 8.000 detentos cursam a educação básica (ensino fundamental e médio) nas 119 escolas estaduais e municipais, instaladas dentro das unidades prisionais. Além disso, 271 reclusos estão matriculados no ensino superior, em cursos de Educação a Distância (EAD) e presenciais.

Comentários