Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

 

 

2642c005-2c5e-44b3-bd22-c640d4b3a656As obras de requalificação da Rua Madre Maria das Neves, Avenida Olívia de Castro e Rua Francisco Machado, vias contínuas que ligam os Bairros Fátima e Clélia Bernardes ao Centro, já mostram avanço. A Prefeitura já retirou os bloquetes de aproximadamente 370 metros da via, extensão que contempla toda a Rua Madre Maria das Neves, e desde esta quarta-feira (25) a rua recebe a primeira camada de asfalto.

Toda a extensão da via possui 995 metros. A primeira etapa já está sendo asfaltada e as obras nos outros dois seguimentos terão início somente após a conclusão do asfaltamento do primeiro trecho. A Prefeitura prevê pausar as obras em dezembro, devido ao período de chuvas intensas, e retomá-las na primeira quinzena de janeiro. O objetivo é causar o mínimo de transtorno possível aos moradores e motoristas que utilizam essa importante via coletora. Nos próximos trechos, após a retirada dos bloquetes, a Prefeitura vai ampliar a rede pluvial, aumentando a quantidade de bocas de lobo e bueiros.

d8855ac0-9a89-4524-9135-d66aaa7b45e3O Prefeito Ângelo Chequer e o Secretário de Governo Luciano Piovesan visitaram o local nesta quarta-feira (25) e avaliaram positivamente o ritmo da obra. Para Luciano, “o período chuvoso não é motivo para preocupação, pois o contrato tem duração de seis meses, vencendo em abril de 2016, portanto, a obra está dentro do cronograma previsto”. O Prefeito também está otimista com o ritmo da requalificação e sua expectativa é entregar a obra no final de fevereiro ou início de março.

A retirada dos bloquetes e o rebaixamento da via está sendo realizada pela Secretaria de Obras da Prefeitura. Já a compactação do solo, construção da base e asfaltamento está sendo executado pela empresa Terrasa Engenharia LTDA, de Belo Horizonte. O valor da obra é de R$318.002,11(trezentos e dezoito mil, dois reais e onze centavos) .

Faixas Elevadas

Visando a segurança dos pedestres e maior acessibilidade, a Prefeitura elaborou um projeto para implantação de faixas elevadas, no mesmo padrão daquelas construídas no campus da UFV. A avenida que está sendo reestruturada no Fátima/Clélia Bernardes será a primeira a receber as novas faixas.

As faixas permanentes são feitas a partir de uma estrutura de concreto. O acabamento que forma o desenho das faixas é de pedras portuguesas. O projeto foi elaborado pelo IPLAM e o recurso para execução das obras é proveniente das multas de infrações de trânsito.

Inicialmente serão construídas 40 faixas, em vias importantes como as Avenidas PH Rolfs, Marechal Castello Branco, Maria de Paula Santana, Bueno Brandão, Joaquim Lopes de Faria, Jacob Lopes de Castro e Santa Rita; Ruas Sebastião Lopes de Carvalho, Gomes Barbosa, Senador Vaz de Melo, Milton Bandeira, Benjamim Araújo e Passos; Travessa João Carlos Belo Lisboa e Praça Silviano Brandão.

As faixas permanente trazem diversos benefícios, pois além de servirem como redutores de velocidade, elas evitam a necessidade de gastos com constante pintura e manutenção. Elas também promovem acessibilidade e trazem segurança aos pedestres, uma vez que serão construídas no mesmo nível das calçadas, extinguindo as rampas e degraus.

 

Comentários