Compatilhe esta publicação:

Twitter Facebook Google+

 

image_miniVereador Marcos Nunes faz pronunciamento para explicar sua saída do Partido dos Trabalhadores
Na tarde da última quarta-feira (24) foi realizada uma coletiva de imprensa onde o Vereador Marcos Nunes fez um pronunciamento para a população explicando sua expulsão do quadro do PT. Ele se defendeu das acusações feitas pelo Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores. Outros políticos estiveram presentes e manifestaram o apoio ao Vereador.

A principal acusação feita pelo partido foi de um possível apoio do vereador a candidatura do PMDB em 2012.

A Direção do partido disse que o Vereador fez acusações infundadas contra o mesmo, além de desobedecer às deliberações feitas por eles. Marcos afirma que as acusações são falsas.

O Pronunciamento

O Vereador Marcos Nunes explicou que o processo era para ser sigiloso. “O processo a princípio teria que ser feito em sigilo, pelo código de ética do PT, que garante que ele siga em sigilo, mas isso vazou na imprensa e eu me senti na obrigação de prestar os esclarecimentos aos meus eleitores e a todo povo de Viçosa.”

Ele explicou que dentro do Partido dos Trabalhadores de Viçosa existem algumas discordâncias, o que ele chamou de “tendências”, nesse contexto é como se o PT tivesse pequenos partidos internos, e salientou “isso é tranquilo, está dentro da nossa democracia, faz parte da vida ativa do PT. Nós temos nossas tendências, disputamos normalmente, mas nos devidos momentos a gente esquece essas tendências e buscamos o bem maior. Sendo assim, a grosso modo, podemos dizer que a representação do partido em Viçosa é dividido em dois grupos, o maioritário que é a liderança no município e o minoritário no qual eu, Sávio e algumas outras pessoas que estão presentes fazemos parte. Militamos normalmente dentro do nosso partido, mas descordamos com algumas decisões ou a maneira que a liderança atual do partido toma suas decisões e levam as coisas de fato”.

Sobre a denúncia de apoio a candidatura do PMDB em 2012 à Prefeitura, Marcos Nunes explicou que “antes das eleições, nós temos uma instância anterior às eleições, em que é feita uma conjuntura para ver se o PT vai lançar seu próprio candidato ou vai apoiar alguém. Durante esse período de discursão interna, eu defendi o nome da Vereadora Cristina Fontes como candidata do PT, nada contra os outros, mas entendíamos que não queríamos o projeto do Prefeito Celito Sari. No entanto, a partir do momento em que o diretório tomou uma decisão para levar para o Encontro Municipal de que não vamos apoiar aquela candidata, nós como integrantes do partido vamos marchar com o candidato que o PT escolheu”.

Dentro deste contexto, o professor Raimundo que foi candidato a Vice- Prefeito junto ao Sérgio Pinheiro fez uma série de acusações à Comissão de Ética do PT contra o Vereador Marcos Nunes. “O filiado denunciado desrespeitou todas as decisões tiradas democraticamente dentro das instâncias do PT de Viçosa ao pedir voto à candidata Cristina Fontes. Fato esse que é público e notório dentro da cidade.” Depois de ler o documento, Marcos destacou que “eu já estive duas vezes nos programa do Paulinho Brasília e disse e repito, se alguém me viu fazendo campanha para Cristina Fontes, se você tem alguma foto, alguma gravação, alguma coisa, traga pra mim que eu terei a honra de renunciar o meu mandato sem precisar passar por nenhum Conselho de Ética”.

O Vereador pontuou que “também fui acusado que em meu material de campanha não tinha indicação de voto para o cargo de Prefeito, definidas democraticamente pelas instâncias do Partido, mas é obrigatório em um processo da Comissão de Ética que as provas sejam apresentadas. A atual diretoria do PT em momento nenhum me mostrou as provas e eu preciso das provas até mesmo para fazer uma defesa. Quem quiser entrar no site do TSE e verificar a minha prestação de contas, está toda lá”.

E completou: “outra acusação que não procede é uma fotografia, que estão dizendo que sou eu participando da passeata de apoio a candidata do PMDB. Essa foto não foi me apresentada, mas eu acho que a fotografia é essa aqui e a gravidade é que não sou eu nessa foto. Eu nunca participei de nenhuma atividade da campanha, isso é uma prova falsa. O filiado ao PT Raimundo tem todo o direito de me processar, fez uma representação junto ao PT-MG, mas o que não se pode é vazar pra imprensa como foi feito porque está denegrindo minha imagem, assim como eu tive o direito de quando não concordei com algo internamente no diretório do PT Municipal, entrei com recurso na estadual e eles não concordaram comigo, qualquer filiado do PT tem o direito de questionar qualquer coisa”.

E continuou seus esclarecimentos dizendo que “eu entendo que é uma perseguição politica sim, por duas questões claras, a Comissão de Ética está sendo constituída pelo Renato Martins e Daniel Martins, o povo de Nova Viçosa sabe que eles são extremamente ligados ao meu suplente que é o DJ Roni de Nova Viçosa, por uma questão de ética eles não poderiam estar me julgando, porque o estatuto é claro, se você tem interesse no caso, você tem que chamar alguém que não tem interesse nenhum e colocar pra ouvir, se não fica tendencioso. Outra questão é o relator do meu processo o senhor Edimilson Paiva da Mota Junior que até a eleição era candidato pelo PRTB, e antes era filiado ao PT, logo depois das eleições, troca de partido novamente volta para o PT, visto que é necessário no mínimo um ano de filiação no partido, uma pessoa que tem um mês de partido, já é relator do meu caso e integrante da Comissão de Ética”.

O advogado do Vereador Marcos Nunes, Leonardo Resende alegou que “além desse processo ter perdido todos os prazos permitidos e que viola os princípios da ampla defesa e do contraditório, as testemunhas requeridas não foram intimadas e nem ouvidas. Também não fui intimado em várias passagens do procedimento. Além de ser um processo ilegal é um processo insano. Não há perda de mandato, vamos recorrer ao Diretório Estadual caso isso aconteça. Se o Diretório Estadual mantiver essa decisão, nós vamos recorrer ao Judiciário, que tenho certeza irá anular esse procedimento desde o início diante das graves violações que ocorreram”.

O Vereador Sávio José explicou a situação em que se encontra o diretório do PT no município e defendeu o Vereador Marcos Nunes “durante a eleição eu andei muitas vezes com o Vereador Marcos Nunes e afirmo a todos os senhores e senhora, ele cumpriu a direção partidária de fazer a campanha ao candidato Sérgio Pinheiro”.

Estiveram presentes, além dos já citados, o Deputado Federal, Padre João; o Prefeito de Ponte Nova, Paulo Augusto Malta Moreira; o Presidente da Casa (PDT), Luis Eduardo Salgado, e os Vereadores Alexandre Valente (Xandinho do Amoras) (PSD), Geraldo Deusdedit (Graldinho Violeira) (PSDC), Idelmino Ronivon (Profº Idelmino) (PC do B), Paulo Roberto Cabral (Paulinho Brasília) (MD) e Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB), Marilange Pinto Coelho (PV).

Deixe uma resposta

Comentários